A crise estrutural do capital

Entre em contato

22529675

É difícil destacar qualquer trecho indicativo da qualidade do trabalho, pois ele é todo exemplar. Mas, tentemos: p. 29: “Pois o que está fundamentalmente em causa hoje não é apenas a crise financeira maciça, mas o potencial de autodestruição da humanidade no atual momento do desenvolvimento histórico, tanto militarmente como por meio das destruição em curso da natureza”. Ou, à página 48: “A permanência de um status quo global, dadas as imensas forças dinâmicas, necessariamente expansivas, que envolve, é uma contradição em termos: um absurdo que deveria ser visível até mesmo para o mais míope especialista em teoria dos jogos.”

István Mészaros.
Boitempo: 2009/2011/2013